Provavelmente você já está familiarizado com uma sanduicheira.

Acredito também que você já fez seu café da manha usado a sanduicheira sem ler o manual. Mas se tudo ocorreu com sucesso porque as luzes em cima da sanduicheira ?

É fácil perceber que elas indicam algum estado e pra quem leu o manual será fácil identificar qual estado indica a hora de pôr o sanduíche.

Esse foi um exemplo breve de como as interfaces podem comunicar de forma ineficiente o processo de trabalho.

No primeiro capítulo do livro O Design do Dia-a-dia de Donald Norman ele condensa o problema: “Objetos mal concebidos e mal projetados podem ser difíceis e frustrantes de usar. Não fornecem indicação alguma -ou por vezes indicações falsas. Enganam o usuário e impedem o processo normal de interpretação e compreensão.”

Apesar de parecer óbvio, é um grande desafio construir produtos que comunicam de forma eficiente. O desafio aumenta quando o objetivo é construir um produto digital. Por isso queria deixar aqui umas formas de ajudar a criar interfaces que os seus usuário vão se sentir mais confortáveis.

Comunique estados de carregamento de forma clara

Eventualmente, haverá no seu produto uma funcionalidade que dependerá de um carregamento mais longo e outras navegações que não gastam tanto tempo de carregamento.

As interações do seu produto digital podem causar menos frustração quando os estados de carregamento deixam claro qual será rápido e qual será mais demorado. 

Se pode ser feito, deve ser comunicado

Os textos do seu produto são um suporte no processo da execução do trabalho do seu usuário. Se um texto deve estar na interface será mais fácil para o usuário se for numa linguagem familiar.

Você pode escolher um tom para a linguagem que será usada, ser claro e objetivo, evitando sempre o uso de uma comunicação muito formal e desnecessária. Con


Conclusão

Guie seu usuário, ele não precisa descobrir o que deve fazer

Como quando recebemos visitas e precisamos sinalizar onde é o banheiro  a  interface do seu produto pode e deve guiar o usuário. Isso pode ser feito através de padronizações de interações como um fluxo de busca. Também pode ser feito através da distinção clara de qual é o fluxo principal daquela funcionalidade, você pode usar as cores para dar o contraste e deixar óbvio qual é o CTA(Call to Action) e qual é o fluxo secundário. Fluxos muito longos podem frustrar o seu usuário, será bom informar qual etapa o usuário está e quantas faltam.

Sobre Gustavo

Graduando em Sistemas da Informação pelo Centro Universitário La Salle e Estagiário de desenvolvimento do Rupee

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *